Gestão

Sabia que momentos de crise são ótimas oportunidades de inovação e criatividade?

Se você possui um estabelecimento ou faz parte da gestão de um, sabe muito bem como os últimos anos não foram fáceis para o segmento de alimentação fora do lar.

A queda no poder de consumo dos brasileiros aliada ao aumento dos custos de manutenção fizeram milhares de estabelecimentos fecharem as portas entre os anos de 2014 e 2016. Para se ter uma ideia, apenas os gastos com energia elétrica, neste período, subiram mais de 50%.

Diante desse cenário, uma pergunta que inevitavelmente irá surgir na cabeça de qualquer empreendedor ou funcionário do setor de alimentação fora do lar é:

Como driblar a crise?

Primeiramente é essencial entender que uma crise econômica nada mais é do que um momento de baixa, que pode ser localizado, mensurado e adaptado, que não está diretamente ligada à questão macro do governo.

O Brasil e todos outros países do mundo sofreram, em algum momento da história, uma ou várias crises econômicas. O maior problema da crise que vivemos nos últimos anos não está no “tamanho da queda”, mas sim no tempo de duração.

Como aponta André Araujo, presidente da Abrasel PE (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Pernambuco), muitos empreendedores não têm tempo e dinheiro para esperar a crise passar.

“O aumento nos custos da energia elétrica, folha de pagamento aliado aos problemas de segurança pública e mobilidade estimularam as pessoas a ficarem menos tempo em restaurantes, o que justifica a queda no consumo. Neste cenário muitos empreendedores reduzem seus lucros para evitar repassar o custo para o cliente, mas chega um momento em que manter o restaurante é insustentável”.

Com isso em mente, o empreendedor que precisa encontrar fôlego em 3 saídas:

a) Reduzir custos: demissão de funcionários e medidas econômicas podem ajudar, mas nem sempre são o suficiente;

b) Repassar os custos para o consumidor: a não ser que a qualidade e/ou diferencial do seu serviço também aumente, seus clientes serão repelidos e a situação pode piorar;

c) Inovar: Como em momentos difíceis todo empreendedor se torna um pouco mais relutante e tomar medidas diferenciadas dos concorrentes, crises são – historicamente – excelentes períodos para investir em produtos e/ou serviços inovadores.

Aliás, você sabia que o Uber, uma das empresas mais inovadoras (e valiosas) do mundo, nasceu durante o momento mais baixo da crise econômica norte-americana de 2008?

Para conferir mais dicas sobre o segmento de alimentação fora do lar, visite o Blog da Fispal. Estamos sempre publicando conteúdos úteis por lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *