Inovação

Tudo que você precisa saber para montar um espaço kids

Não é segredo para ninguém que as crianças influenciam diretamente a decisão dos pais pela escolha do restaurante, um comportamento que ao ser observado mais de perto sugere aos empresários a criação de uma área especialmente dedicada aos pequenos. Recheado de atividades lúdicas, o chamado espaço kids tende a abrir mercado por meio da diferenciação do estabelecimento ao gerar entretenimento enquanto os adultos fazem a refeição.

Democrático, ele pode ser instalado em restaurantes de todos os portes e com diversos modelos de materiais, desde uma mesa com giz e folha para colorir até algo mais sofisticado com tobogã, piscina de bolinhas e eletrônicos. “Se considerarmos o investimento de R$ 20 mil para um ótimo espaço kids com certeza podemos prever o retorno de investimento em menos de 36 meses”, afirma Emerson Fabris, especialista nos mercados de Bares e Restaurantes da consultoria E.Fabris. Um passo adiante é oferecer também cardápio dedicado ao paladar infantil.

A resposta será sentida na propaganda boca a boca que naturalmente os pais fazem no grupo de convívio, assim, contribuindo para aumentar o fluxo de clientes e formar um público familiar. “Esse ponto é bastante importante de ser analisado. Cantinas e pizzarias, por exemplo, recebem mais famílias, porém quais são as características que identificam o seu negócio?”, provoca Acácio Hypólito, coordenador da pós-graduação em Gestão de Marketing da FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado).

“Resposta à estratégia é sentida na propaganda boca a boca que naturalmente os pais fazem no grupo de convívio”

O que avaliar

Antes de implantar o espaço kids, avalie inicialmente dois tópicos que viabilizam o projeto: disponibilidade de área física e estrutura financeira do negócio. Debaixo do guarda-chuva das finanças aloque o custo com brinquedos, as despesas com os recreadores e os gastos de manutenção da área.

Com sinal verde, considere a legislação que esbarre no público infantil e o treinamento do profissional de apoio. Podem parecer pouco relevantes, mas esses pontos são cruciais quando estamos lidando com quem é mais valioso para a família: a criança.

Para fechar, é preciso não esquecer que meninas e meninos ficam irritados com a falta de novidade. “Tenha sempre um plano B para se reinventar, pois do mesmo jeito em que eles levam para o espaço, eles também o repelem se ficarem cansados da rotina de atividades oferecidas”, finaliza Hypólito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *